sábado, 28 de fevereiro de 2015

Governo Dilma Rousseff: síntese da república

Dilma e Lula fingem que não exite crise
Foto: divulgação


Depois de aumentar o preço do combustível, da energia elétrica, de aumentar a taxa de juros, alterar direitos trabalhistas, onerando toda a população brasileira, em uma das piores crises da república, a gestão de Dilma Rousseff  - que não cessa de surpreender o mundo com seu desgoverno, aumenta ainda mais o seu descrédito.

Capa da revista "The Economist"
Foto: Globo


A famosa revista americana "The Economist" dedicou sua ultima capa a este estrondoso fracasso, na qual qualifica que o país está no "atoleiro", afirmando ainda que os brasileiros "estão percebendo que compraram falsas promessas", referindo-se a reeleição de Dilma. Na Europa, o jornal britânico "Financial Times", em artigo do dia 25 de fevereiro, enumera 10 motivos pelos quais Dilma deve sofrer o impeachment, são eles: perda de apoio no Congresso, escândalo da Petrobras, queda na confiança do consumidor, aumento da inflação, aumento do desemprego, queda na confiança do investidor, déficit orçamentário, problemas econômicos no geral, falta d’água e possíveis apagões elétricos. Está sendo organizada uma grande manifestação no dia 15 de março, em todo o Brasil, que visa a impugnação do mandato da presidente.

O ex-presidente Lula, em evento no Rio de Janeiro afirmou que pretende combater e silenciar a manifestação popular de 15 de março, que segundo ele é manobra das "elites que não suportam ver a ascensão dos mais pobres". Em seu discurso Lula disse: "também sabemos brigar. Sobretudo quando o Stédile colocar o exército dele nas ruas", referindo-se ao integrantes do MST - Movimento dos Trabalhadores Sem Terra. De fato, pelo aparelhamento de sindicados, associações operárias, movimentos sociais, todos subordinados ao governo federal, Lula e Dilma possuem uma legião a disposição, verdadeira milícia que se obriga a combater para continuar beneficiada com verbas e favores da situação. O Clube Militar, em nota de repúdio as declarações de Lula, afirmou que "esta postura incitadora de discórdia não pode ser de quem se considera estadista, mas sim de um agitador de rua qualquer. É inadmissível um ex-presidente da República pregar, abertamente, a cizânia na Nação. Não cabem arrebatamentos típicos de líder sindical que ataca patrões na busca de objetivos classistas".

Lula e Stédile: companheiros de ideologia
Foto: divulgação

Enquanto Lula discursava e ameaçava ataques, na rua, a milícia vermelha atacava manifestantes que protestavam contra Dilma Rousseff
Foto: divulgação


O governo de Dilma Rousseff ilustra bem a república. Tradicionalmente envolta em corrupções e na desordem, evolui para o caos absoluto, prejudicando todos os brasileiros e, consequentemente, o país. Os conluios partidários obrigam o voto em candidatos despreparados e sem formação moral e intelectual para o governo, situação que se repete no Congresso Federal. Somente a monarquia legou ao Brasil a estabilidade política mais duradoura de sua história. Afinal, que estadistas da república se equiparam a Dom Pedro II? Que parlamentares atuais podem ser comparados a Joaquim Nabuco, Afonso Celso de Assis Figueiredo, Visconde de Ouro Preto ou João Alfredo Correia de Oliveira?   

Campanha da internet mostra o desgoverno de Dilma Rousseff
Foto: coelho voador    


Para ler: 

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Blog Radar da Mídia publica artigos sobre a atual situação política do Brasil

O blog Radar da Mídia publicou em 10 e 23 de fevereiro dois excelentes artigos sobre a atual situação do país.

O leitor pode ter acesso através do link: http://radardamidia.blogspot.com.br/

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Dom Bertrand de Orleans e Bragança se reúne com jovens monarquistas católicos

Durante o carnaval, em São Paulo, o Príncipe Dom Bertrand de Orleans e Bragança, Príncipe Imperial do Brasil, esteve reunido com jovens lideranças católicas de todo o Brasil, da Argentina e do Peru.

Dom Bertrand em palestra durante o carnaval 

O Príncipe reunido com jovens monarquistas católicos 

Durante o encontro, proferiu palestras, posou para fotografias, atendeu aos presentes e foi convidado a presentear jovens, dentre os quais alguns argentinos, com o distintivo de lapela representando as Armas Imperais. 



Filial Súplica ao Papa: o Clero, a Nobreza e o Povo se unem pela Família

Página da internet reúne milhares de assinaturas


Uma das bases do sistema monárquico é a família, que sustenta a sociedade e serve como modelo às nações. Pensando nisso, com vistas a segunda parte do Sínodo da Família, que ocorrerá em outubro de 2015, no Vaticano, o Clero, nobres, Príncipes e um Rei endossam a "Filial Súplica" destinada ao Santo Padre, o Papa Francisco I, para manifestar as "apreensões e esperanças sobre o futuro da família".

O texto da Filial Súplica refere: 
"Beatíssimo Padre,
Tendo em vista o Sínodo sobre a Família de outubro de 2015, dirigimo-nos filialmente a Vossa Santidade, para Lhe manifestar as nossas apreensões e esperanças sobre o futuro da família.
Nossas apreensões se devem ao fato de virmos assistindo há décadas a uma revolução sexual promovida por uma aliança de poderosas organizações, forças políticas e meios de comunicação, a qual atenta passo a passo contra a própria existência da família como célula básica da sociedade. Desde a chamada Revolução de 68, sofremos uma imposição gradual e sistemática de costumes morais contrários à lei natural e divina, tão implacável que torna hoje possível, por exemplo, ensinar em muitos lugares a aberrante “teoria do gênero”, a partir da mais tenra infância. 
Em face dessa obscura orquestração ideológica, o ensinamento católico sobre o Sexto Mandamento da Lei de Deus é como uma tocha acesa que atrai inúmeras pessoas – opressas pela publicidade hedonista – para o modelo de família casto e fecundo pregado pelo Evangelho e conforme à ordem natural.Santidade, na sequência das informações veiculadas por ocasião do último Sínodo, constatamos com dor que para milhões de fiéis a luz dessa tocha pareceu vacilar sob os ventos malsãos de estilos de vida propagados por lobbies anticristãos. Com efeito, observamos uma desorientação generalizada, causada pela possibilidade de que se tenha aberto no seio da Igreja uma brecha que permite a aceitação do adultério – mediante a admissão à Eucaristia de casais divorciados recasados civilmente –, e até mesmo uma virtual aceitação das próprias uniões homossexuais, práticas essas condenadas categoricamente como contrárias à lei divina e natural. 
Dessa desorientação brota paradoxalmente a nossa esperança. 
Sim, porque nesta situação uma palavra esclarecedora de Vossa Santidade será a única via capaz de superar a crescente confusão entre os fiéis. Ela impediria a relativização do próprio ensinamento de Jesus Cristo, e dissiparia as trevas que se projetam sobre o futuro dos nossos filhos, caso essa tocha deixe de lhes iluminar o caminho. 
Esta palavra, Santo Padre, nós Vo-la imploramos com o coração devotado por tudo o que sois e representais, certos de que ela não poderá jamais dissociar a prática pastoral do ensino legado por Jesus Cristo e por seus vigários, o que só aumentaria a confusão. Jesus nos ensinou com toda clareza, com efeito, a coerência que deve existir entre a verdade e a vida (cfr. Jo 14, 6-7), assim como nos advertiu de que o único modo de não sucumbir é colocar em prática a sua doutrina (cfr. Mt 7, 24-27). 
Ao mesmo tempo em que pedimos a Sua bênção apostólica, asseguramos-Lhe as nossas orações à Sagrada Família – Jesus, Maria e José –, para que ela ilumine Vossa Santidade nestas circunstâncias tão cruciais."
Este apelo ao Papa já reuniu mais de 100.000 assinaturas, dentre as quais as de:

- Cardeal Raymond Leo Burke,
- Cardeal Jorge Arturo Medina Estévez
- Cardeal Janis Pujats
- Arcebispo de Vaduz (Liechtenstein), Dom Wolfagng Hass,
- Arcebispo da Paraiba, Dom Aldo di Cillo Pagotto,
- Arcebispo Emérito de Niterói, Dom Alano Maria Pena,
- Bispo Auxiliar do Cazaquistão, Dom Athanasius Schneider,
- Bispo de Barretos, Dom Meilton Kenan Junior,
- Bispo dos Serviços Militares do Equador, Dom René Coba Galarza,
- Bispo Emérito de Saint Augustine no EUA, Dom Veictor Galeone,
- Bispo Mérito de Garzón, na Colômbia, Dom Libardo Ramírez Gómez,
- Bispo Emérito do Serviços Militares da Argentina, Dom Antonio Juan Baseotto,
- Arquiabade do Mosteiro de São bento da Bahia, Dom Emanuel d'Ablle do Amaral,
- Vigário Apostólico de São Cristóvão em Galápagos, no Equador, Dom Áureo Patricio Bonilla Bonilla,
- Rei Kigeli V, Soberano exilado de Ruanda, 
- Dom Luiz de Orleans e Bragança, Chefe da Casa Imperial do Brasil,
- Dom Duarte Pio de Bragança, Chefe da Casa Real de Portugal,
- Dom Bertrand de Orleans e Bragança, Príncipe Imperial do Brasil
- Dom Antonio de Orleans e Bragança, Príncipe de Orleans e Bragança e 3º na linha de sucessão ao trono do Brasil,
- Alois Konstantin e Anastacia Victoria, Príncipe e Princesa de Löwenstein-Wertheim-Rosemberg, da Alemanha
- Príncipe e Princesa Ferdinando Massimo, da Itália
- Príncipe e Princesa Carlo Massino, da Itália,
- Duque Paul e Duquesa Pilar de Oldenburg, da Alemanha
- Príncipe Armand de Merode, da Bélgica
- Dom João Filipe e Dona Maria Isabel José Osório de Meneses Pitta , Conde e Condessa de Proença a Velha, de Portugal
- Condessa Hélène de Limburg Stirum, da Bélgica,
- Dom João de Castro Mendia, Conde de Resende, de Portugal
- Conde e Condessa Gustavo Figarolo de Gropello, da Itália,
- Conde e Condessa Giovanni Vannicelli Casoni, da Itália,
- Conde Michel de Rostlan, da França,
- Barão e Baronesa Cédric Peers de Nieuwburgh, da Bélgica,
- Barão e Baronesa Benedikt Piatti, da Áustria,
- Barão e Baronesa Rudolf Pfyffer von Altishofen, da Suécia,
além de numerosas assinaturas de professores de renomadas universidades, intelectuais, ativistas católicos, fundadores de instituições e organismos pró-vida e pró-família. A lista completa pode ser acessada em: http://www.filialsuplica.org/personalities-who-have-signed,3229,c.html

Para contribuir com este importante manifesto, divulgue a página que permite assinaturas digitais, mas também imprima, através de arquivos em pdf, a Filial Súplica e colete assinatura em sua casa, no seu trabalho, na sua paróquia, no seu bairro, na sua cidade e em seu Estado. Contribua!

terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Faleceu Hélène Missoffe, avó de Dona Charlotte Tasso de Saxe-Coburgo e Bragança

Em 22 de janeiro de 2015, em Paris, faleceu aos 87 anos, Hélène Missoffe, destacada política francesa, avó de Dona Charlotte Tasso de Saxe-Coburgo e Bragança. 

Nascida Hélène Mitry, era pertencente a tradicionais famílias francesa, Héléne era filha do Conde Emanuel de Mitry e da Condessa Marguerite, nascida de Wendel. Descendendo, por seu pai, da Casa dos Condes de Mitry, do qual deriva Charles Joseph, e, por sua mãe, da notável família de Wendel, com títulos no Sacro Império Romano, no Ducado de Lorena, no Reino da França e na atual república francesa, Senhores de Longlaville e do Castelo de mesmo nome em Hayange, pertencentes a cavalaria do Duque Charles IV de Lorena.

Hélène se casou com Françoise Missoffe (1919-2003), político, diplomata francês e Grande Oficial da Legião de Honra, filho do Almirante Jacques Missoffe, com quem teve oito filhos. 

Tanto Hélène, quanto Françoise tiveram ativa vida política, militando em partidos de direita. Ele, envolvido com movimento pró França na Segunda Guerra Mundial, foi eleito deputado por Paris, Secretário de Estado do Comércio, Embaixador da França no Japão, foi ministro da Juventude e dos Esportes e responsável pela missão do Ministério dos Negócios Estrangeiros na Ásia. Ela, eleita consecutivas vezes deputada e Senadora  foi também Ministra de Estado da Saúde e da Segurança Social e foi uma defensora da criação de escolas católicas privadas, que hoje atendem mais dois milhões de crianças em mais de nove mil estabelecimentos.

Dentre os filhos casal, destacaram-se Alain Missoffe, que foi vice presidente do Conselho Econômico e Social de Lorena, e Françoise Panafieu, vereadora, prefeita, deputada, conselheira e ministra francesa, casada com Guy de Panafieu, importante executivo e financista, foi diretor da Lyonnaise des Eaux, departamento de águas e saneamentos francês, ex-presidente do grupo público Bull, pais de Dona Charlotte, que casou em 2000 com Dom Afonso Carlos Tasso de Saxe-Coburgo e Bragança, filho de Dona Walburga, nascida Arquiduquesa da Áustria e Princesa da Toscana, e de Dom Carlos Tasso de Saxe-Coburgo e Bragança, herdeiro da segunda filha do Imperador Dom Pedro II, a Princesa Dona Leopoldina. 

A família Panafieu: Marc, Dona Charlotte, Françoise e Guy
Foto: Corbis


Dona Charlotte declarou, há alguns anos, ao jornal Le Express, que sua mãe, assim como sua avó, conseguiu provar que é possível ter uma vida de ativismo político e grandes responsabilidades profissionais, aliadas a uma vida familiar bem sucedida. 

Hélène Missoffe também era Oficial da Legião de Honra. Seu funeral ocorreu em Seine-Maritime. 

ATENÇÃO


Em caso de cópia do material exposto: considerando a lei 9610/98, o plágio é crime. As obras literárias e fotográficas existentes neste espaço são de uso exclusivo do Blog Monarquia Já. Ao copiar qualquer artigo, texto, fotografia ou assemelhado, o Blog Monarquia Já deve, obrigatoriamente, ser citado.

Contador de visitas mundial


contador gratis

Contador de visitas diárias


contador gratis

  © Blogger template 'Isfahan' by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP